Por James Anderson e Mikaela Weisse


Available in English here.

Na medida em que os estádios olímpicos do Rio se esvaziam e que os atletas voltam para suas casas, o grande momento do Brasil nos holofotes globais parece estar chegando ao fim. Mas se levarmos os comentários sobre restauração florestal e mudança climática da cerimônia de abertura a sério, o Brasil assume uma relevância que jamais teve. As florestas brasileiras, das profundezas úmidas da Amazônia até as savanas tropicais do Cerrado, representam uma das melhores chances que o mundo tem para reduzir as emissões dos gases de efeito estufa e para lutar contra as mudanças climáticas. E pela primeira vez, o Brasil e o restante do mundo têm uma ferramenta para rastrear como essas florestas estão mudando a cada semana.

Hoje, o Global Forest Watch lançou o sistema por satélite GLAD para o Brasil, que oferece alertas semanais de novas perdas na cobertura florestal no país. Criado pela Universidade de Maryland, Google e WRI, os alertas fornecem o monitoramento florestal mais rápido, de mais alta definição e de maior escala do que qualquer sistema disponível no Brasil até então. E, pela primeira vez, a população pode acompanhar-o ao governo brasileiro no rastreamento do desmatamento quase em tempo real.

O que são alertas GLAD?

Alertas GLAD identificar áreas de provável árvore de perda de cobertura usando informações de imagens de satélite Landsat. Eles estão atualmente disponíveis para o Brasil, Peru, República do Congo e Kalimantan, na Indonésia. Em comparação com outros sistemas de alerta floresta no Global Forest Watch, os alertas GLAD são ambos resolução mais frequentemente atualizado e superior. Cada alerta abrange um 30 metros por 30 metros de área, aproximadamente do tamanho de duas quadras de basquete. Novos alertas são acionados com cada nova imagem, sem nuvens Landsat (quantas vezes a cada oito dias para qualquer local particular) e são atualizados semanalmente no site. Para mais informações sobre a metodologia por trás dos alertas e como eles diferem de outros sistemas de monitoramento, leia nossa cartilha sobre alertas GLAD no Brasil.

O Próximo Passo na Evolução do Monitoramento Florestal

O Brasil teve grandes avanços na redução do desmatamento, mas ainda perde a cada ano mais cobertura florestal do que qualquer outro país tropical. Em resposta, o Brasil desenvolveu algumas das ferramentas de monitoramento florestal mais sofisticadas do mundo ─ os sistemas PRODES e DETER, operacionalizados pelo governo, e o SAD, da ONG Imazon. Ao passo que essas ferramentas continuam essenciais, os novos alertas GLAD complementam esses sistemas com frequência maior, pixels com mais alta resolução, com cobertura de todos os biomas do país e disponibilidade pública, permitindo que qualquer pessoa com uma conexão de internet detecte um desmatamento e soe o alarme.

Quando o assunto é deter um ato de desmatamento ilegal, velocidade é tudo. A o IBAMA, já dispõe de um dos melhores sistemas de monitoramento de desmatamento do mundo ─ usando os alertas de satélite do sistema DETER para direcionar as equipes de fiscalização ao local via helicóptero. Entretanto, o DETER somente é disponibilizado publicamente a cada três meses. Os alertas GLAD, em comparação, são disponibilizados ao público a cada semana via o serviço de inscrição de e-mail do Global Forest Watch.

Florestas intactas são desmatadas (mostrado em rosa) para agricultura dentro de um parque nacional (em azul) em Rondônia. Veja no GFW aqui.

A rapidez do tempo de resposta só funciona quando você pode identificar a localização da atividade ilegal. A detecção do desmatamento em uma escala precisa é cada vez mais importante considerando que a maioria das perdas de florestas em larga escala são precedidas por algum tipo de desmatamento de menor escala, muitas vezes uma estrada ou um ponto de acesso em um rio. Se a polícia pode detectar desmatamentos menores, é possível impedi-los antes que se expandam.

Sistemas como o DETER e o SAD oferecem alertas de 250 X 250 metros, uma área de aproximadamente 150 quadras de basquetebol. Entretanto, alguns relatórios sugerem que os desmatadores ilegais estão se adaptando e abrindo clareiras ainda menores na tentativa de evitar a detecção por satélite. Os alertas GLAD medem 30 X 30 metros – aproximadamente o tamanho de duas quadras de basquetebol – permitindo que os usuários vejam mudanças de pequena escala como estradas sendo abertas para exploração de madeira (o PRODES também mede o desmatamento na mesma resolução, mas numa frequência anual).

A abertura recente para a construção de estradas é detectada surgindo a partir de uma grande área de agricultura no sul do Estado do Amazonas. Essas estradas são o primeiro sinal da provável expansão da agricultura e da extração de toras nessas florestas intactas, algumas das quais já foram iniciadas. Veja no GFW aqui.

Finalmente, os atuais sistemas brasileiros de alertas monitoram a região amazônica apenas, onde o desmatamento reduziu drasticamente ao longo da última década. Mas o desmatamento florestal de fato aumentou em biomas brasileiros menos conhecidos, como o Cerrado. Esta área de floresta seca e savana apresenta uma biodiversidade extremamente alta e várias reivindicações indígenas por terras, mas está sendo rapidamente desmatado para soja e gado.

Os alertas GLAD podem localizar alterações em todas as áreas florestais brasileiras, incluindo o Cerrado e a Mata Atlântica.

A expansão agrícola no Cerrado é detectada pelos alertas GLAD. Mais da metade da vegetação nativa no Cerrado foi convertida para a agricultura. Veja no GFW aqui.

As Florestas Brasileiras são Importantes para Todos

Alvos GLAD e clima

Alertas GLAD, quando analisado contra um mapa detalhado das emissões de carbono, também pode permitem estimar quão bem o Brasil e outros países estão a fazer no sentido de cumprir suas metas de redução de emissões. Confira a nova visualização em GFW Clima para aprender como diferentes países se comparam.

O Brasil já tem liderado o Mundo em estoque de carbono ao manter suas florestas. O país agora responde por cerca de 20% das emissões mundiais advindas do desmatamento, tendo reduzido dos 69% há uma década. Mas mesmo com esse sucesso, as florestas brasileiras se mantém chave para controlar as mudanças climáticas globais. Com o GLAD, o governo brasileiro tem uma poderosa ferramenta para tomar medidas contra o desmatamento ilegal e continuar desenvolvendo seus próprios sistemas de monitoramento.

Você também pode ser parte do esforço para proteger as florestas brasileiras. Acesse os alertas GLAD no GFW aquiinscreva-se para uma área que você quer monitorar e compartilhe o que você encontrar.


Este post foi publicado originalmente no WRI Insights.

FOTO DA BANDEIRA: por Jesse Allen e Robert Simmon (NASA Earth Observatory) [domínio público], via Wikimedia Commons